DR. SIRLEI MADEIRA - CMA
29 de março de 2018

Incontinência urinária tem cura. Saiba onde tratar em Goianésia

Você sofre com a incontinência urinária? Saiba que você não está sozinho. Segundo estudos realizados no mundo inteiro, a incidência deste problema é extremamente comum. No geral, ela é muito frequente principalmente entre idosos e mulheres, mas também pode acometer homens e pessoas mais jovens.

Algumas estimativas dão conta de que 200 milhões de pessoas sofram com incontinência urinária, mas a falta de consenso sobre a definição deste problema impede que se tenha uma noção do número exato.

Enquanto alguns especialistas definem o problema como a perda involuntária de urina pelo menos duas vezes por mês, outros dizem que a incontinência urinária já pode ser enquadrada sempre que a pessoa sentir que os sintomas estão causando transtornos.

A boa notícia é que esse problema tem cura e você não precisa sair de Goianésia para buscar a solução. O médico urologista Dr. Sirlei Madeira – que atende no Centro de Medicina Avançada (CMA) – é especializado no assunto. “As pessoas com essa condição têm medo de fazer suas atividades diárias normais para evitar expor o seu problema. Eles não podem ficar muito longe de um banheiro e evitam aglomerações de pessoas. Portanto, a incontinência urinária impede que as pessoas aproveitem a vida”, explica o médico, que é membro da Sociedade Brasileira de Urologia.

Ele acrescenta que muita gente acha que a incontinência urinária é um problema normal que surge com o envelhecimento. “Mas isso não é verdade. A incontinência urinária pode ser controlada e tratada”, garante.

O QUE É

A incontinência urinária é caracterizada pela perda involuntária de urina e costuma variar de intensidade. Às vezes a vontade de urinar é tão grande que não dá tempo de chegar ao banheiro, em outras basta um espirro ou um acesso de tosse para que a pessoa não consiga segurar a urina.

O QUE PODE AGRAVAR

Algumas situações podem aumentar o risco de incontinência urinária, por exemplo: idade, gestações, tipo de partos (normais mais que cesáreas) e número de partos.

Nas mulheres o problema tende a aumentar após a menopausa e nos homens acima de 50 anos também, com o surgimento dos problemas de próstata.

Doenças como diabetes, AVC (acidente vascular cerebral) e obesidade também se associam à maior incidência de incontinência urinária.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA

Incontinência urinária de esforço: é a perda de urina que ocorre ao tossir, espirrar, caminhar, correr, pular. Ocorre quando os músculos do assoalho pélvico (músculos que cobrem a cavidade inferior da bacia e sustentam os órgãos que estão no abdômen) são forçados durante esforço físico e se tornam enfraquecidos ou alongados demais. Isso leva a perdas urinárias em episódios, podendo ocorrer em gotas ou em grande quantidade. Não existem medicamentos para esse tipo de incontinência urinária e as recomendações de tratamento estão na fisioterapia e na cirurgia.

INCONTINÊNCIA URINÁRIA DE URGÊNCIA

É a perda de urina associada a um desejo súbito e urgente de urinar, que ocorre porque o indivíduo não consegue chegar ao banheiro a tempo. É o que ocorre na bexiga hiperativa, uma situação na qual o músculo detrusor (músculo que forma a bexiga urinária) se contrai involuntariamente mesmo se a bexiga não estiver cheia. Muitas vezes a pessoa tem que urinar com muita frequência e em algumas vezes a urina escapa antes de chegar à toalete.

Essa condição pode ser tratada de diversas maneiras, incluindo medicamentos, estímulos elétricos com equipamentos de fisioterapia, uso de toxina botulínica e implantes de estimulares elétricos nas raízes nervosas.

INCONTINÊNCIA URINÁRIA MISTA

Algumas pessoas têm os dois tipos de incontinência urinária, ou tem sintomas que podem ser dos dois tipos e chamamos esta condição de incontinência mista. Algumas vezes são necessários exames mais específicos, chamados exames urodinâmicos, que ajudam a ter um diagnóstico preciso para escolher o melhor tratamento.

INCONTINÊNCIA URINÁRIA PARADOXAL

Ocorre quando a bexiga está extremamente cheia e a perda urinária ocorre por uma espécie de transbordamento; o problema nesse caso é a incapacidade de esvaziamento da bexiga, mas o sintoma é a perda de urina. É o que ocorre em pessoas que perdem a sensibilidade da bexiga e não percebem que ela está cheia. Ou ainda em pessoas com obstrução crônica, como nos homens com crescimento da próstata. Nesse caso, o tratamento consiste em melhorar o esvaziamento da bexiga.

PROCURE O CMA E AGENDE SUA CONSULTA

Dr. Sirlei Madeira – Rua 33, 430, Centro, Goianésia. (62) 3353-1644/3353-1634. Atendimento toda terça à tarde e quinta pela manhã.