NA AULA DE BIOLOGIA
16 de junho de 2017

Experiência em escola de Goiânia mostra que celular pode transmitir doenças

Uma experiência educativa chamou a atenção dos alunos do Colégio Estadual Onofre Quinan, em Goiânia. A professora de Biologia, Laureane de Lourenço Loures, utilizou o laboratório de Ciências da unidade de ensino para coletar amostras dos dispositivos móveis dos adolescentes a fim de descobrir se os mesmos estavam higienizados adequadamente.

O material retirado dos aparelhos foi colocado em meio de cultura, onde os microrganismos se multiplicaram e revelaram a importância de cuidar da higiene dos aparelhos.

O teste revelou a contaminação por microrganismos que podem causar vários problemas de saúde. O grupo estudava o reino monera, que compreende as bactérias e as cianobactérias, entre outros microrganismos e o experimento foi utilizado para complementar o conteúdo.

Na primeira etapa do experimento, estiveram envolvidos aproximadamente 120 alunos da 2ª série do Ensino Médio. Como a experiência chamou muito a atenção dos estudantes, o resultado do trabalho foi apresentado para toda a escola.

Além das amostras dos celulares, a professora retirou materiais de corrimões e dos banheiros da unidade de ensino. Alguns celulares apresentaram contaminação por fungos e bactérias superior à dos banheiros e corrimões.

O diretor da unidade de ensino, Michel Silva Rodrigues, afirma que o experimento levou os alunos a refletirem se realmente o aparelho celular pode ficar nas mãos o tempo todo. “Os alunos ficaram assustados com os perigos invisíveis nos aparelhos celulares que eles mantêm à mão a todo o momento”, revelou.

Em alguns celulares foram encontrados microrganismos capazes de provocar infecção nos olhos, na boca e além de diarreia.