VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
20 de junho de 2020

Homem é preso em Goianésia por descumprir medida protetiva de urgência e ameaçar de morte sua ex-mulher

A Delegacia da Mulher de Goianésia, no final da tarde de quinta-feira (18), prendeu em flagrante um Homem de 56 anos após ameaçar de morte (fazendo menção de estar armado), e descumprir medida protetiva de urgência, que o proibia de se aproximar e manter contato com a ex companheira, 34 anos.

A vítima relatou que conviveu em união estável por 18 anos, sendo que há 4 anos estão separados. No entanto, o acusado não aceita o término do relacionamento.

Em 2017, o ex companheiro invadiu a casa e a ameaçou a vítima de morte colocando uma faca contra seu pescoço. Diante deste fato, procurou a Delegacia da Mulher, registrou uma ocorrência e solicitou Medidas Protetivas de Urgência. Ocorre que, mesmo após solicitar tais medidas, foi ameaçada e injuriada por seu ex-companheiro por diversas vezes.

Na tarde de quinta (18), a vítima procurou a Delegacia da Mulher e noticiou que novamente o ex companheiro descumpriu as Medidas Protetivas deferidas em seu desfavor e ameaçou de morte, fazendo menção de estar armado. Relatou ainda que o agressor possui arma de fogo. Imediatamente, os policiais iniciaram diligências, logrando êxito na prisão do acusado.

A Delegada responsável pelo caso, Poliana Bergamo, informou que o acusado foi autuado em flagrante pelos crimes de ameaça e descumprimento de medidas protetivas de urgência, previstos nos Art. 147 do Código Penal e 24-A da lei Maria da Penha, com penas de um a seis meses e três meses a dois anos, respectivamente. Diante da gravidade dos fatos, representou pela decretação da prisão preventiva.

1ª prisão:

Na segunda feira (15) os policiais prenderam um homem de 29 anos após descumprir medidas protetivas de urgência, agredir com um soco na região dos olhos e ameaçar de morte sua ex companheira, 26 anos.

A vítima narrou que conviveu em união estável por 12 anos. Desta união advieram 3 filhos. Há 06 meses colocou fim no relacionamento.

Após o término, a vítima já registrou duas ocorrências contra o autor, sendo uma por ameaça e outra por lesão corporal . Na época deste último registro, a vítima solicitou medida protetiva de urgência.

A delegada responsável pelo caso, Poliana Bergamo, frisou a importância das mulheres comunicarem a Polícia em caso de descumprimento da medida.

“Descumprir Medida Protetivas de Urgência é crime, com pena de três meses a dois anos de prisão, sem possibilidade de arbitramento de fiança na esfera policial” .