Cidades

Nivaldo Melo: o prefeito certo para conduzir Pirenópolis em tempos difíceis

A histórica e turística cidade de Pirenópolis tem agora sob seu comando um líder com experiência e habilidade para os inúmeros desafios que está enfrentando e que terá que enfrentar nos próximos anos com um cenário de pandemia, grave crise econômica e incertezas.

Aos 57 anos, o comerciante Nivaldo Melo (PP), retornou ao comando da prefeitura após quatro anos de uma gestão desastrosa de João do Leo (DEM). Nivaldo foi prefeito de Pirenópolis por dois mandatos seguidos (2009 a 2016), saindo com aprovação popular na casa dos 80%.

A população aprovou tanto seu trabalho que, em 2020, na disputa contra João do Leo e outros três candidatos, Nivaldo obteve mais de 62% dos votos. João do Leo, com a máquina na mão, só recebeu 17% da preferência do eleitorado.

Nivaldo é o prefeito certo para liderar o povo de Pirenópolis no pior momento de sua história: o terror da pandemia cada dia mais sendo letal, população em pânico e com a economia dando sinais de degradação por conta das medidas restritivas.

“Nossa aposta é em soluções criativas para minimizar o sofrimento das pessoas. É preciso buscar o equilíbrio, salvar vidas e não deixar o comércio da cidade sofrer tanto o impacto”, afirmou o prefeito. Em vez de apoiar medidas duras e autoritárias, Nivaldo adotou a tática que lhe acompanhou em toda sua trajetória política: investiu no diálogo, ouve o povo e elabora suas decisões ouvindo todos os lados.

Desde que assumiu o mandato, já participou de mais de 30 reuniões com os diversos segmentos da sociedade pirenopolina: igrejas, empresários do setor turístico, forças de segurança pública, vereadores, entidades classistas, ONGs e comunidade em geral.

Diante disso, publicou decreto restringindo alguns setores, como a diminuição da capacidade dos hotéis e restaurantes, mas principalmente investindo em campanhas educativas junto aos empresários e população quanto à importância de seguir os protocolos. “Nosso primeiro objetivo é preservar vidas, cuidar dos moradores da nossa cidade. Mas como prefeito tenho que olhar todos os aspectos, é uma questão de equilibrar a balança. E acredito muito na responsabilidade que nossos empresários têm, que nossa população tem”, afirma.

Pirenópolis não tem leito de UTI, mas tem pactuação com hospitais de Anápolis e Goiânia. A primeira providência do prefeito foi adquirir quatro respiradores novos para o hospital estadual. Com os sete que já possuía, agora a estrutura conta com 11. Ainda precisa ser ampliada essa oferta porque a pandemia está ainda longe de acabar. E isso afeta todo o mundo.

Nivaldo Melo acredita que em breve será possível que os municípios possam comprar vacinas. Já se antecipando tem reunido com os gestores das cidades vizinhas de Corumbá, Abadiânia, Alexânia e Cocalzinho, visando a constituição de um consórcio, visando a aquisição dos imunizantes, assim que tiver autorização, doses no mercado e recursos suficientes.

“O momento é de extremo desafio, mas estamos confiantes que iremos superar esse desafio e em pouco tempo retornaremos à nossa vida normal. Para isso precisamos redobrar a vigilância e cada um fazer a sua parte”, destaca.

Não há milagre, não há solução fácil, mas com grandes esforços podem começar a acontecer pequenas vitórias, pequenos avanços. E em Pirenópolis nenhum político tem mais condições de liderar essas ações que Nivaldo Melo. Porque usa o diálogo e não o autoritarismo, usa a experiência e não o achismo, investe no trabalho em vez de ficar reclamando. É o prefeito certo para tempos difíceis.

Jornalista e Escritor

× Fale Conosco