ORGULHO PARA A CIDADE
16 de março de 2022

Com apenas 16 anos, aluno do Ciclo Cursos de Goianésia passa em 2º lugar em Medicina na Federal do Tocantins

Com apenas 17 anos vividos e com toda a vida pela frente, estudante Heder Lucas Santiago, tem seguido na contramão de muitos jovens da sua geração. Enquanto muitos de sua idade ainda estão focados em curtir baladas, ele já decide seu futuro profissional. E o faz com ótima estratégia.

Ainda com 16 anos, ele conseguiu, no ano passado, a façanha de ficar em 2º lugar no concorrido vestibular para Medicina na Universidade Federal do Tocantins. Como ainda era aluno do 2º ano do ensino médio, no Colégio Estadual da Polícia Militar José Carrilho, ele teve que ingressar com ação na Justiça para tentar ingressar no ensino superior. A decisão foi negada, mas Heder não abaixa a cabeça e segue o plano de passar novamente, e bem, em vestibulares de universidades federais Brasil afora.

O principal segredo, ele admite, foi ter buscado ajuda do Ciclo Cursos, um preparatório de vestibulares que tem se destacado em Goianésia. E ele fez isso ainda no 1º ano do ensino médio. A maioria deixa para entrar em cursinhos ao término do terceiro ano, perdendo um precioso tempo na luta para chegar ao ensino superior. Ele resolveu conciliar a escola com o cursinho preparatório.

“Com a mentoria do professor Rodrigo Vieira, fui apresentado ao mundo dos vestibulares, aprendi como montar uma rotina de estudos e a ter acesso ao que é uma prova de vestibular”, disse o jovem.

Mais do que o tempo dedicado aos estudos, Heder explica que para obter sucesso é preciso estudar do jeito correto. E isso ele garante que tem conseguido graças aos métodos do Ciclo. Ele foca direto no que é uma questão. “Mudei a forma de estudar. Foco na resolução nas questões, da revisão e sempre atualizado sobre o que pode cair nas provas do vestibular, graças a essa ajuda profissional”, acrescenta Heder.

Ele explica que a mentalidade, graças ao Ciclo, mudou totalmente. “Estou pronto para os próximos desafios, que é passar de novo em universidades federais de Medicina e, agora, concluindo o ensino médio, já ingressar no ensino superior e realizar o sonho de ser médico”, finaliza o jovem idealista, que entende o sacrifício de agora como a estrada segura para uma vida de sucesso.